Conflito

Conflito é uma disfunção relacional, uma interrupção – indesejada e geralmente inconsciente – na conexão de um grupo, seja de indivíduos, empresas, nações, etc…. Na percepção dos envolvidos, torna-se impossível coexistir e passam então a adotar, deliberadamente ou não, comportamentos de exclusão do outro.

Se o pertencimento àquela coletividade foi, em algum momento, importante, a experiência do conflito traz alto grau de dor, desperdício e perda de recursos. No entanto, se tratado adequadamente, serve como alerta do que pode e deve ser ajustado no funcionamento do grupo e, uma vez superado, todos saem melhor do que entraram. Permanecendo unidos ou decidindo conscientemente pela separação, poderão, então, ficar em paz com o resultado.

Resolução de Conflitos

Como disse Albert Einstein: “É impossível resolver um problema, pensando da mesma maneira que se pensava quando se criou o problema.”

O que hoje denominamos “Resolução de Conflitos” é o conjunto de metodologias que podem ser aplicadas na construção de soluções que qualquer das partes envolvidas não estaria em condições de criar sozinha.

O nosso leque de opções metodológicas tem a Mediação de Conflitos como base ética. Da negociação colaborativa à facilitação de diálogos, mantemos o princípio de que o terceiro, contratado para intervir no processo decisório das partes em conflito, deve atuar para fazer aflorar a melhor capacidade negocial de cada um dos envolvidos, mantendo-os como protagonistas de decisões bem informadas, realistas para todos, com visão de futuro e, portanto, sustentáveis.

Acordo

A busca do acordo requer o compromisso dos envolvidos, e sobretudo do mediador, em fazer todo o possível para criar as condições nas quais todos possam voltar a dar o seu melhor, rumo a soluções que atendam seus interesses e também possam ser aceitas pelos demais. De cada um só é pedido o que efetivamente esteja ao seu alcance e o mesmo deseje conceder, a fim de obter o que lhe atenda melhor.

O importante é que o processo seja percebido como justo e todos saiam convictos de que obtiveram o melhor resultado POSSÍVEL naquele momento.

As estatísticas mundiais mostram que a probabilidade de acordo, uma vez iniciada uma mediação, é de 80%.